Viagem de bicicleta de São Paulo – SP até Piçarras – SC: idéia e planejamento.

A idéia original dessa viagem tinha como destino final a cidade de Florianópolis. Naquele momento a única certeza era a de que eu e o Fernando “Afrojapa” iríamos, e que ao menos passaríamos por parte das ilhas do litoral sul de São Paulo e do norte do Paraná. Tudo dependeria dos custos envolvidos, já que não queríamos fazer uma viagem cara, com muitos restaurantes, hotéis ou pousadas, e havia muita dúvida quanto ao preço a ser pago nas travessias entre as ilhas. O plano era viajar acampando e cozinhando sempre que possível, com o máximo de autonomia. Assim já estaríamos praticando o estilo de viagem que qualquer um que pretenda viajar de bicicleta até Ushuaia será obrigado a adotar.

Alguns outros amigos e amigas haviam manifestado interesse em fazer pelo menos parte do trajeto, mas ninguém de fato confirmou nada. Quando foi decidido que o planejamento mais concreto precisava começar, a Marcela Marcondes confirmou presença e nos reunimos para traçar a rota, listar equipamento* e pensar os detalhes, a logística da viagem. Definimos a data de partida, a madrugada de 21/12/2013. A essa altura a Lena, minha namorada, já havia nos alertado que seria burrice passar de Balneário Camburiú em diante nos últimos dias do ano. Concluímos que realmente a superlotação turística, o trânsito intenso e a inflação dos preços poderiam dar uma azedada no fim da viagem. A solução não demorou, unindo o útil ao agradável apareceu a oportunidade de passar o ano novo em Piçarras, na casa da família do meu amigo Daniel Shu. Assim, estava definido o ponto de chegada, que alcançaríamos no dia 28 ou 29 de dezembro, com o bônus de ter os amigos e a namorada esperando, além de todo o conforto de uma casa para descansar. Com partida e chegada definidas, traçamos a rota e quilometragem de cada dia, bem como alguns possíveis pontos para acampamento.

Umas 2 ou 3 semanas antes da partida o Juninho e o Brian apareceram e confirmaram presença, então fizemos mais uma reunião para repassar os detalhes com eles, que resolveram não partir de São Paulo, mas nos encontrar direto no fim do segundo dia ou na manhã do terceiro, já na Ilha Comprida.

O plano em geral até que deu bastante certo, já que imprevistos são mesmo esperados nesse tipo de viagem e acabam funcionando como um tempero a mais. Os detalhes de cada dia da viagem, bem como as respectivas fotos seguem nos próximos posts. Obrigado pela leitura!

Primeiro teste de montagem da bagagem sobre a bicicleta.

Primeiro teste de montagem da bagagem sobre a bicicleta.

* Uma coisa que me ajuda muito no planejamento são as listas de equipamentos que li em diversos relatos de ciclistas viajantes. Abaixo segue a minha lista. Talvez falte um ou outro item ou sobre algum que eu talvez nem tenha levado no fim das contas, mas a grosso modo é isso aí. Não carreguei tudo sozinho, os itens de interesse coletivo, como cozinha e comida, foram distribuídos nas bagagens de todos.

Carga:
Alforje traseiro Topeak 22,5 L, com capa de chuva.
Alforge dianteiro Deuter top rack 10 L
Corda elástica – 3
Saco estanque 1 – 2,5 L
Saco estanque 2 – 3 L
Saco estanque 3 – 5 L
Saco plastico a vácuo (do tipo que não precisa de aspirador)

Camping:
Barraca
Pequeno cadeado para fechar o ziper da barraca
Saco de dormir
Isolante térmico
Lona extra para o fundo da barraca ou cobertura em dia de chuva forte

Higiene:
Toalha de alta absorção
Filtro solar
Escova de dente
Pasta de dente
Fio dental
Sacos de mercado para lixo
Pomada Calminex (ou Tiger Balm, ou Gelol)
Vaselina  (bom para evitar assaduras nas partes baixas)

Roupas:
Bandeira pirata e mastro improvisado
Camiseta drifit manga curta
Camiseta drifit manga longa
Camiseta de algodão para dormir
2 Camisetas seca de algodão
Bermuda de ciclista
Short de praia e pedal
Bermuda de dormir
3 cuecas
3 pares de meia
Chinelo
Tênis
Luva de gel
Capa de chuva
Calça tactel (caso role algum dia mais frio – mas quase impossível e pra viajem de onibus)
Boné
Óculos de grau
Óculos escuros

Cozinha:
Espiriteiras – 2
Isqueiro e fósforos
Corta vento
Base para apoiar panelas
Panelas – frigideira pequena (não usamos) e panela média
Colher de pau
Talheres
Pote com tampa boa (pra servir de prato também)
Álcool de posto para a espiriteira – 1L em garrafa de amaciante (tipo galão), é proibido vender em garrafinhas plásticas comuns.

Comida:
1 Kg de quinua
1 Kg de lentilha
1 Kg de arroz
300 g de soja sabor alho
300 g de soja sabor bacon
100 g de alho tostado desidratado
frutas e legumes, comprar nas cidades
Curry
Clorin – para desinfetar águas duvidosas antes de ingerir
Azeite
250 g de damasco seco
300 g de banana seca
200 g de castanha de caju sem sal
250 g de castanha do pará
Pão (comprar na viagem)
Margarina
Chocolã ou pasta de amendoim
Bolachas
Miojo (não gosto, mas é prático)

Ferramentas e reparos:
Câmara da ar
Lubrificante
Estopa
Espátulas
Kit remendo
Chave de raio
Chave de corrente
Link de corrente
Canivete multiuso

Carteira:
RG
Cartão
Dinheiro

Eletrônicos:
Celular
Carregador do celular
Câmera: 2 lentes, protetor de lente, 2 baterias, carregador,  memory card, flanela, vassourinha, tripé e bolsa
Lanterna de cabeça (3 pilhas AAA)
3 pilhas AAA
Luz traseira vermelha
Ciclocomputador
Ipod
Cabo para carregar Ipod
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s